sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Berlim - Rastro de Saudade

Aqui não há espaço para os desatentos, não há lugar para a inércia prolixa dos procrastinadores...
A vida aqui não passa simplesmente, mas acontece! Como a doce poesia que tem o barquinho adentrando o Sol, sumindo no horizonte, deixando com seu movimento um rastro de saudades sobre as águas salgadas do mar...
Aqui meu ser se liberta dos olhares julgadores, e minha alma traz a plenitude bela que só o infinito pode conceder...

Cléber Otávio

quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Mistérios do ser

Um olhar ao infinito tendo os pés no agora
Um olhar ao passado distante que não se ignora
Nobre guerreiro da vida, segue sempre em frente...
desvendando os mistérios do ser que a alma explora...


Cléber Otávio

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Amigos

Existem pessoas, aquelas que te fazem deparar com a beleza interior que mora em mim mesmo... aquelas que me remetem a sinceridade e pureza quase infatil e inata que gosto viver...
Existem pessoas que simplesmente fazem minha alma brilhar por simplesmente existir... como a estrela vespertina da Deusa mãe...
Existem pessoas que por mais distante, por mais tempo que passe longe, por mais erros que possam comigo cometer não posso deixar de chama-las de amigo!!!
aos meus amigos de verdade...
Obrigado pela vossa sincera amizade!! Feliz natal e um próspero ano novo todos!!!
Cléber Otávio

Círculo Sagrado

O Vale do desespero já não é mais minha morada!
A ilusão já não faz parte do meu modo de vida!
A hipocrisia social é tudo que mais odeio e que luto a cada dia...
Dou as costas as inverdades e as falsas imagens que os estúpidos que só sabem viver de conveniências socias vendem e impões todos os dias!
Tenho o meu mundo, meu coração, minha alma e no círculo sagrado de minha vida só entra quem eu deixo entrar!!!
A sabedoria do infinito num só lugar...
Minha fé insana de que de novo um dia posso amar...

Cléber Otávio.

A Vida é Matemática

Torrencialmente chove em sua horta... A água afoga as mágoas, inundando, levando as lindas flores lá estavam...
A vida e os versos perderam a poesia, agora só há você e sua dor.
Sua angústia e seus desejos frustrados, seu corpo a implorar por mais um dose e a vontade de sair do submundo que cai num imenso vazio...
O sofrimento é a condição de tua vida e a droga o alimento de tua alma nessa sobrevida que chamas de vida... O caminho que escolheste e que quase não há volta...
A solidão assola novamente o vosso ser que entorpece de desespero e dor...
A vida é matemática e suas equações dão sempre resultados quebrados, pois não há exatidão no vale do desespero!
Dois bilhetes e apenas uma escolha a fazer:
Ir para o porão do submundo e perder a identidade e a própria alma... ou
agradecer ao diabo por ainda estar vivo e fazer a escolha de sair de vez do inferno...
Dessa vez para nunca mais voltar...
Cléber Otávio

Desprezo

Já não há para onde fugir...
Para todos os cantos que olho tem a tua falsa imagem.
Te matar dentro de mim ainda não foi o suficiente...
Continuas estampado em minha memória como uma tatuagem,
uma ferida que parece não ter cura...
Mas não mereces o meu amor e tão pouco minha amizade ou atenção.
Sairás de mim, nem que eu tenha que arrancar minha própria pele!
Desejo a tua felicidade! Mas mais que tudo, por tudo que é mais sagrado, com todas as minhas forças te desejo longe de mim!!!
Por cada gesto de carinho e de sentimento puro por ti renegado...
no meu mundo mereces o eterno desprezo!

Cléber Otávio.

O destino do meu ser

Demônio ou pássaro disse a alma do menino
Cantas mesmo para o teu parceiro ou será para mim?
Quando criança, minha língua era usada enquanto dormia.
Agora Ouço-te
já sei para o que sirvo
Desperto!
Nunca mais os gritos do amor insatisfeito me deixarão
Nunca mais me deixarão ser a criança pacífica de antes...
Vendo a Lua amarela e inclinada, O mensageiro apareceu.
Fogo. O doce inferno dentro dele
O querer desconhecido
O destino do meu ser...

Walt Whitman

Adeus!

Tudo passa e você também passou.
Lá está ele, novamente chorando a infância perdida que insiste em reviver...
ha espera do amor perfeito, da mulher perfeita, do filho bonitinho, da família bonitinha que só existe na televisão...
Passou como um filme em quadros... e assim passa sua a vida.
Não há mais tempo a perder, nem ninguém a esperar, nem há nada a esperar de ninguém que não seja você...
Ilusão...
Sonhar é bom, mas viver de ilusão é viver de mentiras...
As lindas histórias infantis, são mentira! Mas a vida sempre ás traz de volta, e a outra face de mim, toma-me conta e acabo sendo expectador ou ator coadjuvante de minha própria vida...
Pleonasmos emocionais, redundâncias de sentimento, que terminam sempre na dor insana de reviver só mais um pouquinho... só mais uma dose de ti...
Já me curei de tais feridas! , agora sou eu o ator principal do palco que é minha vida e no meu mundo só entra quem eu deixo entrar!!! Se minha mágoa pudesse se transformar em algo, seria um grande mosntro que te engoliria, guspindo depois teus ossos aos cães de Hécate.
Adeus!!!vá vivendo a sombra de tua própria dor, da dor de estar vivo!!!Da dor de ser o que és... da dor de não poder mudar o que sentes, pois como bom covarde, não tens coragem, ser autêntico é para os que são livres, não para escravos do sistema...
esta é a tua felicidade, mas não a minha. a minha é exatamente o contrário!
É ser eu mesmo, é viver em paz comigo, é viver a liberta felicidade que pago um preço alto todos os dias...
Por isso Adeus!
Pois pra mim a Ilusão não combina com felicidade!!!

Cléber Otávio

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Afetuoso Suicídio

" Matar alguém que está dentro de mim
é matar uma parte de mim mesmo..."

Cléber Otávio

domingo, 5 de dezembro de 2010

Obsessão

Quando me pego obcecado por alguém ou alguma coisa, é sinal que este não existe, pois quando há um desejo tão grande, que se transforma em necessidade e este nunca chega, é porque não me pertence, portanto não existe...

Cléber Otávio

sábado, 4 de dezembro de 2010

Sentimento Insano/Lucidez divina

O sentimento que faz visualizar o absoluto...
A beleza libertadora que traz o luto...
A plenitude insana que por alguns instantes é tudo!
A lucidez quase divina que neste mundo é um absurdo...
Por tudo e por nada, apenas sei que é assim
Tenho que seguir sozinho... Não há quem possa vir comigo
Minhas fantasias se projetando na realidade que é dura e cruel e enquanto isso...
Eu Desfaço os nós do meu pensar e sentir...
Não posso parar, pois quando paro, ponho - me a procurar...
Procurar, procurar, procurar aquele que nunca vai chegar,
Me deparo com quem não sabe amar...
No fundo, no reflexo invertido dos loucos e das almas perdidas,
desvendado pelo oráculo de Thot... Lá estou eu...
É quem eu menos esperava encontrar...
dez anos buscando a lucidez...
anos buscando por um amor que não pode chegar enquanto
não for encontrado em mim e para mim mesmo possa ser dado...
As projeções fantásticas, que me distanciam da realidade
e de mim mesmo fazendo-me assim perder o que só eu mesmo posso me dar...
E no final do processo o único que posso ter ou ser sou eu...
mas...
Afinal quem és tu diante do espelho???

Cléber Otávio