sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Berlim - Rastro de Saudade

Aqui não há espaço para os desatentos, não há lugar para a inércia prolixa dos procrastinadores...
A vida aqui não passa simplesmente, mas acontece! Como a doce poesia que tem o barquinho adentrando o Sol, sumindo no horizonte, deixando com seu movimento um rastro de saudades sobre as águas salgadas do mar...
Aqui meu ser se liberta dos olhares julgadores, e minha alma traz a plenitude bela que só o infinito pode conceder...

Cléber Otávio

quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Mistérios do ser

Um olhar ao infinito tendo os pés no agora
Um olhar ao passado distante que não se ignora
Nobre guerreiro da vida, segue sempre em frente...
desvendando os mistérios do ser que a alma explora...


Cléber Otávio

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Amigos

Existem pessoas, aquelas que te fazem deparar com a beleza interior que mora em mim mesmo... aquelas que me remetem a sinceridade e pureza quase infatil e inata que gosto viver...
Existem pessoas que simplesmente fazem minha alma brilhar por simplesmente existir... como a estrela vespertina da Deusa mãe...
Existem pessoas que por mais distante, por mais tempo que passe longe, por mais erros que possam comigo cometer não posso deixar de chama-las de amigo!!!
aos meus amigos de verdade...
Obrigado pela vossa sincera amizade!! Feliz natal e um próspero ano novo todos!!!
Cléber Otávio

Círculo Sagrado

O Vale do desespero já não é mais minha morada!
A ilusão já não faz parte do meu modo de vida!
A hipocrisia social é tudo que mais odeio e que luto a cada dia...
Dou as costas as inverdades e as falsas imagens que os estúpidos que só sabem viver de conveniências socias vendem e impões todos os dias!
Tenho o meu mundo, meu coração, minha alma e no círculo sagrado de minha vida só entra quem eu deixo entrar!!!
A sabedoria do infinito num só lugar...
Minha fé insana de que de novo um dia posso amar...

Cléber Otávio.

A Vida é Matemática

Torrencialmente chove em sua horta... A água afoga as mágoas, inundando, levando as lindas flores lá estavam...
A vida e os versos perderam a poesia, agora só há você e sua dor.
Sua angústia e seus desejos frustrados, seu corpo a implorar por mais um dose e a vontade de sair do submundo que cai num imenso vazio...
O sofrimento é a condição de tua vida e a droga o alimento de tua alma nessa sobrevida que chamas de vida... O caminho que escolheste e que quase não há volta...
A solidão assola novamente o vosso ser que entorpece de desespero e dor...
A vida é matemática e suas equações dão sempre resultados quebrados, pois não há exatidão no vale do desespero!
Dois bilhetes e apenas uma escolha a fazer:
Ir para o porão do submundo e perder a identidade e a própria alma... ou
agradecer ao diabo por ainda estar vivo e fazer a escolha de sair de vez do inferno...
Dessa vez para nunca mais voltar...
Cléber Otávio

Desprezo

Já não há para onde fugir...
Para todos os cantos que olho tem a tua falsa imagem.
Te matar dentro de mim ainda não foi o suficiente...
Continuas estampado em minha memória como uma tatuagem,
uma ferida que parece não ter cura...
Mas não mereces o meu amor e tão pouco minha amizade ou atenção.
Sairás de mim, nem que eu tenha que arrancar minha própria pele!
Desejo a tua felicidade! Mas mais que tudo, por tudo que é mais sagrado, com todas as minhas forças te desejo longe de mim!!!
Por cada gesto de carinho e de sentimento puro por ti renegado...
no meu mundo mereces o eterno desprezo!

Cléber Otávio.

O destino do meu ser

Demônio ou pássaro disse a alma do menino
Cantas mesmo para o teu parceiro ou será para mim?
Quando criança, minha língua era usada enquanto dormia.
Agora Ouço-te
já sei para o que sirvo
Desperto!
Nunca mais os gritos do amor insatisfeito me deixarão
Nunca mais me deixarão ser a criança pacífica de antes...
Vendo a Lua amarela e inclinada, O mensageiro apareceu.
Fogo. O doce inferno dentro dele
O querer desconhecido
O destino do meu ser...

Walt Whitman

Adeus!

Tudo passa e você também passou.
Lá está ele, novamente chorando a infância perdida que insiste em reviver...
ha espera do amor perfeito, da mulher perfeita, do filho bonitinho, da família bonitinha que só existe na televisão...
Passou como um filme em quadros... e assim passa sua a vida.
Não há mais tempo a perder, nem ninguém a esperar, nem há nada a esperar de ninguém que não seja você...
Ilusão...
Sonhar é bom, mas viver de ilusão é viver de mentiras...
As lindas histórias infantis, são mentira! Mas a vida sempre ás traz de volta, e a outra face de mim, toma-me conta e acabo sendo expectador ou ator coadjuvante de minha própria vida...
Pleonasmos emocionais, redundâncias de sentimento, que terminam sempre na dor insana de reviver só mais um pouquinho... só mais uma dose de ti...
Já me curei de tais feridas! , agora sou eu o ator principal do palco que é minha vida e no meu mundo só entra quem eu deixo entrar!!! Se minha mágoa pudesse se transformar em algo, seria um grande mosntro que te engoliria, guspindo depois teus ossos aos cães de Hécate.
Adeus!!!vá vivendo a sombra de tua própria dor, da dor de estar vivo!!!Da dor de ser o que és... da dor de não poder mudar o que sentes, pois como bom covarde, não tens coragem, ser autêntico é para os que são livres, não para escravos do sistema...
esta é a tua felicidade, mas não a minha. a minha é exatamente o contrário!
É ser eu mesmo, é viver em paz comigo, é viver a liberta felicidade que pago um preço alto todos os dias...
Por isso Adeus!
Pois pra mim a Ilusão não combina com felicidade!!!

Cléber Otávio

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Afetuoso Suicídio

" Matar alguém que está dentro de mim
é matar uma parte de mim mesmo..."

Cléber Otávio

domingo, 5 de dezembro de 2010

Obsessão

Quando me pego obcecado por alguém ou alguma coisa, é sinal que este não existe, pois quando há um desejo tão grande, que se transforma em necessidade e este nunca chega, é porque não me pertence, portanto não existe...

Cléber Otávio

sábado, 4 de dezembro de 2010

Sentimento Insano/Lucidez divina

O sentimento que faz visualizar o absoluto...
A beleza libertadora que traz o luto...
A plenitude insana que por alguns instantes é tudo!
A lucidez quase divina que neste mundo é um absurdo...
Por tudo e por nada, apenas sei que é assim
Tenho que seguir sozinho... Não há quem possa vir comigo
Minhas fantasias se projetando na realidade que é dura e cruel e enquanto isso...
Eu Desfaço os nós do meu pensar e sentir...
Não posso parar, pois quando paro, ponho - me a procurar...
Procurar, procurar, procurar aquele que nunca vai chegar,
Me deparo com quem não sabe amar...
No fundo, no reflexo invertido dos loucos e das almas perdidas,
desvendado pelo oráculo de Thot... Lá estou eu...
É quem eu menos esperava encontrar...
dez anos buscando a lucidez...
anos buscando por um amor que não pode chegar enquanto
não for encontrado em mim e para mim mesmo possa ser dado...
As projeções fantásticas, que me distanciam da realidade
e de mim mesmo fazendo-me assim perder o que só eu mesmo posso me dar...
E no final do processo o único que posso ter ou ser sou eu...
mas...
Afinal quem és tu diante do espelho???

Cléber Otávio

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Anjos

...Os olhos invejosos querem me enviar para o vale do desespero...
mas minha alma é o reflexo invertido dos anjos da morte, que em sonhos te invadem e estilhaçam teu ser como se fosses de cristal...
Tuas lágrimas de sangue serão o alimento de minha vitória que beberei com gelo e limão!!!

Cléber Otávio

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Eu Diria...

Coisas mentais? prazeres carnais? crescimentos espirituais... Vida mais e mais,
pra que tantos ais? porque se podemos ter menos poderes sem ter tantos ais...
A vida é veneno, o mundo é pequeno, sou ser ameno, que diria pequeno, sem ter tantos mais...
Minha felicidade, não quer igualdade, não passo por shopings, não compro demais...
O dia é curto, em minha alma eu não surto, a felicidade, do mais feliz dos mortais... que eu não tenho tantas necessidades, para ter tantas igualdades me parecer como os demais, minhas necessidades são curtas duas calças e duas camisas e não mais...
A vida é bela e amarela, diz a rosa singela porque eu sou prosa se eu sou mesmo rosa? Minhas pétalas caindo, eu denegrindo sorrindo, sempre com cor aerosa, sou mesmo rosa... Sou mesmo Rosa...

Gilson Máximo

Benção dos Deuses

Vivo divagando nos sentimentos...
Não posso abraçar o mar que é feito de emoções, mas posso me deixar envolver por ele...
Navego pelas correntezas para lugares que eu até então pensava conhecer...
E encontro em nossos lábios, o amor versado, ainda cru e medroso, mas lindo como só o amor sabe ser...
Em nossos olhos, a vasta imensidão da própria alma, que quando unidas são uma só energia...
E na intimidade de nosso ventre baixo, o desejo pulsando...
Como ferro e imã nos atraímos intensa e apaixonadamente...
E na Egrégora sagrada que o esperma plasmou, a Bênção dos Deuses que nenhum ser pode tirar...
O amor e o infinito em um só lugar...

Cléber Otávio.

domingo, 14 de novembro de 2010

Tórridas Paixões

As energias se alinham, tua presença entorpece minha alma , fundindo sentimentos, desejos e emoções...
Me lembro de ver o infinito no castanho dos teus olhos...
Nossos lábios se tocando em meio a tórridas paixões que tínhamos... Sentir o teu coração pulsando, e tua respiração ofegante misturando medo e tesão...
Medo... a falta de fé, o beijo da morte, o super-ego alimentado pela hipocrisia social que vivemos...
Acabou... Era só um sonho...


Cléber Otávio.

Flor de Lótus

Só me restaram os escombros da solidão...
Por instantes a fonte do amor secou...
A fluidez da vida foi estancada pelo medo e pela vergonha de simplesmente ser...
Pela Ria passeiam os barcos que vão movimentando as águas salgadas e lamacentas da emoção...
No horizonte, o mar engole o Sol e com ele vai a esperança de te ter de novo...
Muitos são os seguidores, mas escolhidos, são poucos.
No brilho frio da Lua está o olhar atento da Deusa mãe, que chora ao ver o seu filho negar a si mesmo... Suas lágrimas regaram os jardins do amor e na delicadeza singela da flor de Lótus a fluidez da vida retoma o seu curso...
E no horizonte, o barquinho dos amantes navega e o sentimento fluido nas águas brilha mais que o próprio Sol...

Cléber Otávio.

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Aceitação

O ser humano faz tudo para ser aceito socialmente...
Finge ser o que não é, mente, inventa e engana a si e quem for preciso, pra vender uma imagem bonitinha que todos comprem...
Acaba assim se distanciando de si mesmo, e chega a um ponto que nem reconhece mais a própria imagem diante do espelho...

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Cavalgada nas estrelas

Não tenho bola de cristal... Não tenho...
no futuro... vejo você com os olhos por detrás de um óculos...
sentado em um velho sofá com os seus filhos á volta
Relembrando os velhos tempos... arrependido por não ter sonhado,
por não ter vivido...
projetando nos seus filhos o que não teve coragem de viver,
o que não teve coragem de fazer...

Vem comigo vamos cavalgar pelas estrelas no universo... o infinito...
A vida é hoje e não amanhã...

Não vejo o futuro
mas vejo você com uma mulher,
uma mulher triste infeliz e voce fingindo que existe...
que algo existe...
um casal medíocre, comum, uma vidinha comum
vejo você saindo á noite...
sua mulher em casa, seus filhos em casa
e você buscando viver o que não viveu...
Garotos... garotas do liceu... em
e eu te pergunto, é isso que você quer?
é isso que vais buscar? é isso?

Vem comigo vamos cavalgar pelas estrelas no universo... o infinito
a vida é hoje não amanhã
O futuro não existe é você quem o faz...

Cléber Otávio

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Privilégio dos Corajosos

Não tente adivinhar o que as pessoas pensam a seu respeito.
Faça a sua parte, se doe sem medo.
O que importa mesmo é o que você é.
Mesmo que outras pessoas não se importem.
Atitudes simples podem melhorar sua vida.
Não julgue para não ser julgado...
Um covarde é incapaz de demonstrar amor
- isso é privilégio dos corajosos.

Mahatma Gandhi

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Barba


Tenho saudades do teu sorriso,sentar - te no meu colo te fazendo cafuné até que adormeças... Acordar com calor inebriante de tua pele, sentindo tuas mãozinhas me procurando e os teus lábios molhados beijando minhas Buchechas...
e um sussurrar a dizer: - O pai, não fizeste a barba...
O tempo anda sempre pra frente e daqui uns dias és tu que tens barba...
A beleza de amar incondicionalmente, a dor e a saudade que a distância que um oceano inteiro traz...
Quando preciso muito estar contigo mergulho e me escondo num lugar só meu que ninguém tem acesso...
Meu pobre coração que mesmo com as dores que a vida trz, não se cansa de amar...
Não posso estar ao teu lado agora, mas vou até o infinito e lá sinto a tua presença... Minhas lágrimas vertem e formam um rio que me leva de volta a base, e o oceano que nos separa desaparece, dando lugar a um grande abraço cósmico...
tua presença, teu sorriso branco e nossa jura de amor eterno que nem a morte pode romper...
Filho: Do mais rubro negro centro da terra até o infinito céu de Oduduá pra sempre vou te amar... Mais que ontem, menos que amanhã, a cada dia amo-te mais...
Cléber Otávio.

Temperança...


Não tem nome, não tem voz...
Tem apenas o branco dos teus dentes,
O calor dos teus abraços
e os teus olhos tristes de arrependimento e dor...
Se saudade fosse água o Atlântico seria pouco pra medir a falta que me fazes...
Se o amor tivesse cor, teria que pedir a Deus um arco-íris que atravessasse o mundo de ponta a ponta... e por ele Cavalgaria ao teu encontro e não partiria de novo sem te deixar um pouco de mim...
Tua voz rouca oa telefone a dizer: -Quando voltas?
Me rasga o plexo, me estraçalha a alma...
Um amor, dois camihos opostos... dois amores, um caminho apenas... um arco-íris de saudade que plasma tua presença em mim...
Incondicional e infinitamente te amo... Meu filho...

Cléber Otávio

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Inconsciente Coletivo

Um dia de cada vez
uma escolha de cada vez,
algumas não são entendidas de imediato, mas há uma força que norteia até o que está por ser escolhido...
O que não tem sentido, naturalmente deixa de existir,
o que é inconcebível pode parecer natural no ideário imaginativo de quem lá vive...
Os cães do submundo já começaram sua caçada, A grande senhora brilha a magia da grande arte através da Luz prateada da Lua Cheia...
Já não posso viver na imensidão dos sonhos, do subconciente ou das falsas imagens que entorpecem os que se deixam escravizar por tudo e mais alguma coisa...
tenho que ter os pés na realidade...
No mundo em que vives eu já me senti rei, achando que manipulava e controlava tudo e todos a minha volta, mas nem a mim mesmo tinha algum controle, ou se quer poder de escolha...
O espelho das almas Ignora os que não atendem ao seu chamado, ignora os viciados e moralistas de plantão... a grande arte pode ter muitos seguidores, mas escolhidos, são poucos...
enfim, o mundo fantástico dos sonhos é aqui,
o inferno é aqui,
o céu é aqui,
essa é a realidade que a vida nos apresenta...
A carruagem de Ares já deu sua largada e Gaia não vai parar de girar o mundo por um podre e ignóbil sonhador... acordem!!! Já é hora de despertar, a vida é curta e o tempo não pára... Vem pra realidade antes que fique perdido no mundo dos sonhos com a alma escrava aos instintos coletivos da própria terra, como um animal irracional...
O Herdeiro do submundo só leva quem já terminou aqui sua jornada, não queira ir antes...
A vida é agora, não amanhã...
Que a força esteja sempre contigo...


Cléber Otávio para aquele que um dia me seguiu...
Que os deuses tenham piedade de sua alma... Luz irmão...

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Caverna

Tento apagar-te da memória, mas a vida sempre te traz de volta, por outros rostos, em outros corpos e situações... sempre voltas...
Já mergulhei intensamente pra dentro de mim na esperança de me libertar de ti... desbravei o ideograma humano, o segredo de Thot.
Já perdi as contas das vezes que pelo meu livro das sombras pedi clemência a Deusa mãe, escrevendo e falando dos meus labirintos internos que muitas vezes levam a ti...
Bem haja luz nos escombros da solidão, já saí da caverna mas ela ainda habita em mim... O cavaleiro de espadas me sedeu suas armas e em segredo luto com os monstros que ainda moram na caverna...
De ti agora tenho apenas uma vaga lembrança de um sonho feliz que ainda está por vir...

Cléber Otávio.

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Expresso do Submundo

... Minha alma clamou por amor e encontrou a tua...De boleia em teu coração fui levado no expresso em direção ao submundo... O Vale das almas perdidas.
Não sabia bem aonde o trem que Deadema criou iria me levar.
Quando me dei por conta, estava envolvido num turbilhão de beijos no qual nossos lábios se encontraram... Imigrei não apenas de país, mas no coração, cujo corpo estava em outro colchão... Do submundo insano e entorpecido das drogas te trouxe para a claridade do amor que nasceu naquela noite... O sentido mudou e o Expresso agora era o da liberdade...
Enfim Caetano veloso tinha razão: "...O amor aprisiona mas pode ser a única libertação..."
Não posso ser apenas teu amigo... pois quando te vejo ainda tenho aquele frio na barriga...Nos abraçamos e ali nossos corpos são uma coisa só... Bjorkicamente em estado de emergência um pelo outro... Djavânicamente envolvidos, com passagens só de ida ao expresso do prazer...
É de manhã, vejo o Sol entrar pela janela e hoje minha cama está vazia. Pegasse novamente o expresso em direção ao Submundo... Mas já não posso ir te buscar, pois o medo, a falta de fé e a opressão que sentes te fazem não querer voltar...
Cléber Otávio.

quarta-feira, 28 de julho de 2010

Viva a Ignorância!

Viva a mediocridade humana!
Viva aos obedientes e ignorantes que perdem a liberdade de ser e estar por se submeterem a falsa moral que lhes é conveniente...
Comprem vacinas de todos os tipos... ou fiquem doentes e contribuam aos grandes laboratórios não por bem, mas por mal...
Ninguém te ouvirá se estiveres doente!
Ninguém te ouvirá se te colocares à margem da sociedade...
Portanto viva o capitalismo selvagem!
Viva a Ignorância!
Viva o HIV(Sida) que enriquece os laboratórios e os governos!
Viva as hepatites todas!
Viva a Gripe A!
Viva aos poderosos que querem ser Deus e regular a vida humana!!!
Viva aos sacerdotes de todas as ordens, principalmente os que falam contra a camisinha e os adeptos a pedofilia!
Viva o Abuso sexual!
Viva a violência doméstica!
Enfim Viva a Lusofonia e a independência do imperialismo europeu e norte americano!
O sistema lhes informa: A vacina contra a ignorância está em falta...
Cuidado com os traficantes de informação... a sua vacina pode não funcionar! não compre não compre vacinas não regulamentadas pelo governo!
e um último, mas não menos importante viva:
Viva a mediocridade e mesquinharia humana que impera o ideário azul dos ignóbeis, porcos que dominam o mundo capitalista!!!

Cléber Otávio

sábado, 10 de julho de 2010

Palavras - chave

Amor = vida
Ressentimento = doença
Lucidez = paz
Amizade = amor incondicional
Vida = movimento
Movimento = espiritualidade
Universo = Deus
Pensamento = razão
Sexo = prazer
Tesão = desejo
Obseção = Sofrimento
Adicção = dor
Sinceridade = Paz...

Cléber Otávio

quarta-feira, 7 de julho de 2010

Minha dor

A Solidão assola minha alma novamente, quando penso em ti, me sinto perdido…
Olho para dentro de mim e parece que me falta um pedaço,
quero te dar um longo abraço… Mas não podia te tocar, não da forma que gostaria,
tua falta me fez entrar em estado de emergência…
Estás em todos os rostos que passam por mim. Cada música que escuto faz lembrar você...
E então fecho os olhos para tentar esquecer, e em um sono profundo me acordo com a tua imagem em minha mente…
és como um oásis em meio a um deserto, é lindo, mas não existe na vida real, é apenas um sonho que me envolve e me faz criar a ilusão de que posso amar de novo…
E agora o que fazer? já estás tatuado em minha alma...
e tu será que pode se livrar de minha presença em ti?
Continuo a ser o espelho dos loucos, tão envolvido que as tuas emoções são minhas…
Minha dor são as tuas lágrimas, e o que sentimos nos separa, como se o desejo fosse um pecado fatal…
Mas um dia a flor vai desabrochar e ser feliz por ser flor e então minha missão estará cumprida, e terei de partir… novamente com a dor de não poder cuidar das sementes que plantei…

Cléber Otávio.

sábado, 5 de junho de 2010

Metade

Que a força do medo que tenho
Não me impeça de ver o que anseio
Que a morte de tudo em que acredito
Não me tape os ouvidos e a boca
Porque metade de mim é o que eu grito
Mas a outra metade é silêncio.
Que a música que ouço ao longe
Seja linda ainda que tristeza
Que a mulher que eu amo seja pra sempre amada
Mesmo que distante
Porque metade de mim é partida
Mas a outra metade é saudade.
Que as palavras que eu falo
Não sejam ouvidas como prece e nem repetidas com fervor
Apenas respeitadas
Como a única coisa que resta a um homem inundado de sentimentos
Porque metade de mim é o que ouço
Mas a outra metade é o que calo.
Que essa minha vontade de ir embora
Se transforme na calma e na paz que eu mereço
Que essa tensão que me corrói por dentro
Seja um dia recompensada
Porque metade de mim é o que eu penso mas a outra metade é um vulcão.
Que o medo da solidão se afaste, e que o convívio comigo mesmo se torne ao menos suportável.
Que o espelho reflita em meu rosto um doce sorriso
Que eu me lembro ter dado na infância
Por que metade de mim é a lembrança do que fui
A outra metade eu não sei.
Que não seja preciso mais do que uma simples alegria
Pra me fazer aquietar o espírito
E que o teu silêncio me fale cada vez mais
Porque metade de mim é abrigo
Mas a outra metade é cansaço.
Que a arte nos aponte uma resposta
Mesmo que ela não saiba
E que ninguém a tente complicar
Porque é preciso simplicidade pra fazê-la florescer
Porque metade de mim é platéia
E a outra metade é canção.
E que a minha loucura seja perdoada
Porque metade de mim é amor
E a outra metade também.

Autor desconhecido.

sexta-feira, 28 de maio de 2010

Ventos Mentais

correntes de vento mental
ventos de tranquilidade, passividade,
ventos de inquietude.

respirações mais ou menos ritmadas
tranquila inquietude

passividade...

ventos mentais.
ventos que transportam pensamentos
mais ou menos globais.

correntes que variam conforme o pensamento,
também sentimento,
coisas normais.

essas coisas do pensamento.
deveriam ser mais racionais.
no que diz respeito ao sentimento,
não sei... que fazer mais.

as outras?
quem é que nos vai dizer que são mentira?
seres normais?!

João Monteiro

sábado, 22 de maio de 2010

O lobo e a Lua

Um triste caminho eu sigo, apenas uma companhia eu tenho,
Caminho escuro e frio, seguindo a única coisa que me faz acalmar,
Um brilho intenso, que me guia nas noites escuras,
Em noites que ela não aparece fico só,
Não tenho mais amigos, vivo só,
Onde esta minha alcatéia?
Deixaram-me, ate mesmo o brilho que eu seguia me abandonou,
Só me resta às noites de luar, onde a meu verdadeiro amor surge,
Como num sinal de agradecimento eu hulvo,
Como se fosse troca de carinho ou palavras românticas,
Parece que só existe nos dois,
O mundo sumiu e quem eu mas amava não liga pra mim mais,
Só o que aprendemos é sempre gostar de pessoas erradas,
Até mesmo você lua me abandona em noites escuras,
Mais mesmo assim sei que numas dessas você volta,
Enquanto isso, eu vagarei nesse mundo tão cheio, porém tão solitário,
Onde os verdadeiros princípios são esquecidos,
Mais a vida de um lobo é assim,
Amando o que não pode tocar, não pode cheira ou beijar,
O único sentimento e olhar e admirar sua beleza intocável,
Continuarei sempre a seguir -te até quando não tiver mais forças para caminhar,
Porque seu brilho é a única coisa que me importa,
Sempre haverá uma lagrima em meus olhos,
A cada gota que se esvai, é uma angustia a mais no coração,
Porque os lobos nunca têm um final feliz,
Apenas morre pelo que brilha,
Ficando apenas na memória da natureza mesmo,
Mesmo assim continuarei a persegui a lua, e seu brilho por que é o que me resta.

Sócrates

Entre lágrimas e desejos


Entre lágrimas e chuvas vejo o teu rosto,
não quero te perder, não agora!
não posso ir embora
desejo tua morte!
pois tua presença me entorpece os sentidos...
Estou refazendo meu luto para que não tenhas mais o controle de minha vida...
minha linda criança interior...
Não chores!
Papai está aqui...

Cleber Otavio

segunda-feira, 10 de maio de 2010

É tempo de ser livre


É tempo de ser livre!
Não vou vender meu corpo ou minha força de trabalho para o que eu não acredito!
Não serei explorado pelo sistema!
Não tomarei medicamentos que me tragam mais doenças do que curas...
é Tempo de ser livre!
pois não escravizarei minha vontade e meus desejos em função de convenções...
Não deixarei de comer carne porque está na moda,
pois os rumores internéticos que permeiam essas questões advém sempre do dinheiro, Os vegetais estão cada vez mais caros!
Não serei escravo do sistema! Desculpa!
É tempo de ser livre!
Quero apenas chegar em minha casa e ser eu mesmo...
quero é apenas chegar em uma festa de amigos e ser eu,
Não quero dar desculpas ou explicações sobre o que sinto, penso ou simplesmente sou...
É tempo de ser livre! E eu só quero ser eu mesmo!
Não vou ser mal educado ou tão pouco preconceituoso com aquilo e aqueles que não conheço bem. Antes de expressar opinião, vou me aproximar e ver do que se trata!
Também não vou viver preso em minhas emoções nem vou calar minhas ânsias por nada...
É Tempo de ser livre! E...
lá se vão alguns anos da revolução francesa, lá se vão alguns anos da revolução dos cravos, da revolução farroupilha, de woodstok, etc.
Tantos movimentos e revoluções pela livre expressão e direitos humanos e o fim é quase sempre o mesmo: Alguém se vende há alguém como se fosse um número ou objeto...
...preconceito, exploração, politicagem...
e a imagem de um menino, cujo, a lágrima clara sobre a pele escura e quando chega ao chão se transforma na flor da morte, na rosa de hiroshima...
Que mais tarde saem nos noticiários para gerar pânico e horror aos alienados
que financiam os interesses dos poderosos...
É tempo de ser livre! já não se pode mais viver esse estado de emergência no qual a tristeza é senhora...
Liberdade real pressupões ética, responsabilidade, amor, bem viver!!!
É tempo de ser livre! Não por isso ou por aquilo, mas por tudo! Por Todos!
É tempo de ser livre! Pois o ser humano nasceu pra gozar a liberta felicidade de simplesmente o ser...

Cleber Otavio

Cama Vazia

Mais uma noite...
a cama está vazia
apenas eu comigo mesmo
Vou dormir sem sentir teus lábios molhados,
mas em sonho vou te visitar
Um amor, dois caminhos opostos
Mas há apenas um amor, aquele que sinto agora
aquele que aspiro agora
aquele que me faz chorar e ansiar tua presença
em mim de novo...
A cama está vazia,
mas meu coração está repleto da pureza e o dom do infinito...

Cleber Otavio

Apenas um momento

Apenas um momento...
ver-te novamente... o frio na barriga, o calor e e a maciez de tua pele sentidas como se fosse a 1º vez. Nossas respirações ofegantes e os corpos prontos para explodir em êxtase... Terminou! O que ficou foi o meu esperma plasmado em tuas entranhas...
Apenas um momento...
Cleber Otavio

quarta-feira, 5 de maio de 2010

Um minuto que nunca termina...

Às vezes me pergunto, será que sentiste minha falta? Será que não precisas de mais segurança?
Faço mil questionamentos que acabam sempre em respotas espontâneas e inusitadas.
Quando vejo os teus olhos, sei que o que sentimos é a garantia de nossa lealdade...
Os Dias se passam muito rápido, mas quando estou contigo, passam longa e vagarosamente. Foi bom te reencontrar, cada minuto contigo é único, é magico...
Pois não precisamos dessas formalidades tolas e heterossexuais... "Estamos satisfeitos em sermos nós mesmos" No abraço e não em um papel, Nossa fidelidade está no que sentimos, não em nossa carne, pois sabemos o quanto ela é frágil.
Meses sem conta, separados por um oceano nosso nome era saudade. Quando te vi de novo, sentia como se fosse a primeira e única vez que te tocava. Passado dois minutos, parecia que nnca tínhammos deixado de estar juntos...
tão longe, tão perto...
Bem mais que um mero papel,
bem mais que a bênção dos corruptos que se aproveitam dos que tem fé,
bem mais que os casamentos de negócios que começam e terminam todos os dias...
Temos o que mais nos importa... temos um ao outro!
Tênue? Subjetivo?
Não! Simples o amor como ele é pra nós... Liberdade e mútua aceitação...
Mas o que é o futuro mesmo? "Admirável mundo novo"? Não sei não...
o que sei é que me perder nos teus calorosos e sinceros abraços, nos teus olhos negros como a noite, são o meu maior sinal de LEALDADE!!!


Cleber Otavio

sexta-feira, 9 de abril de 2010

O Escuro

Para estar contigo tenho de estar no escuro
para sentir o desejo pulsando em ti, tenho de estar no escuro
Por vergonha?
Não! Simplesmente para fugir dos olhares maldosos, preconceituosos e vis...
Tua alma torpe de imensa paixão, mas tem de ser contida, senão podes não ser aceito...
Meu passado foi de glórias e de lutas, já não vivo mais nos escuro...
Te queria de novo só por uma noite... Mas te amar no escuro é subestimar a grandeza que há no próprio amor.
Desculpe! Mas amar no escuro é para os fracos é para os que temem os julgamentos em função de não aceitarem a s mesmos...
De Onde venho os grandes guerreiros são grandes porque são o que são! e mesmo no meio da escuridão seu esírito valente brilha por ser simplesmente o que é
é uma pena, no escuro estás e aí ficartás... Sem Mim!!!

Cleber Otavio.

sábado, 6 de fevereiro de 2010

Quem sou eu?

Não sei muito bem, mas...
Não sou o queria ser,
Não sou o que me disseram que eu tinha de ser,
Não sou o que a sociedade queria que eu fosse,
Ou tão pouco o que convenções hipócritas me dizem pra ser...
Não sou nada disso...
Nem quero ser nada pra nada, nem pra ninguém que eu não ache que tenha de ser algo...
Sou um caminhante do mundo a procura de mim mesmo...
Sou o reflexo invertido no espelho dos loucos,
Sou alma, sou corpo
sou coração e também sou tesão...
Sou o coração leal dos guerreiros
Sou aquele que ama mesmo não entendendo muito bem o que é isso...
Enfim Não sou como queria ser, mas amo ser o que sou,
amo a vida, tento amar as pessoas como se fossem uma extensão de mim mesmo, e quando encontro o vazio, ou a mediocridade, vou embora, não com desamor mesquinha, mas com o desapego insano de quem sempre segue o próprio coração...
Acredito na grandeza do mar, na beleza do arco-íris, no amor incondicional... acredito na sinceridade que só é encontrada nas crianças e nos loucos, Acredito numa inteligência superior que tudo ama, que tudo cuida...
Acredito em mim, mesmo sem saber direito quem sou, acredito que nada é por acaso... que os que passam por mim sempre deixam um pouco de si e sempre levam um pouco de mim...
acredito que o que é finito, um dia torna-se infinito... Mas enquanto esse dia não chega, vivo como se cada dia fosse o último, intensa e apaixonadamente...
O que não sou, ou o que sou, já não importa, e sim o amor que levo no peito e a felicidade... Que mora em mim...
Cleber Otavio.

domingo, 17 de janeiro de 2010

O Ser humano

"O Homem é um ser Comunicativo, e uma vez reprimido torna-se um monstro..."

Jurgen Habermas

segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

Saudades

Saudade

Saudade é solidão acompanhada,
é quando o amor ainda não foi embora,
mas o amado já...

Saudade é amar um passado que ainda não passou,
é recusar um presente que nos machuca,
é não ver o futuro que nos convida...

Saudade é sentir que existe o que não existe mais...

Saudade é o inferno dos que perderam,
é a dor dos que ficaram para trás,
é o gosto de morte na boca dos que continuam...

Só uma pessoa no mundo deseja sentir saudade:
aquela que nunca amou.

E esse é o maior dos sofrimentos:
não ter por quem sentir saudades,
passar pela vida e não viver.

O maior dos sofrimentos é nunca ter sofrido.

Pablo Neruda

Repressores da pátria...

Ora quem és tu? Quem pensas que és?
Que coragem! Reprimir-me? Para que? Para que eu não seja mais eu mesmo? E qual o problema comigo? Não sou diferente de ninguém! Apenas sou eu mesmo… acredito em sanidade, em lucidez! Não posso viver fingindo, não posso viver uma vida de aparência como tu! Não posso! Não posso me perder de mim, sua repressão no fundo é inveja de quem goza a vida plenamente! Tua postura desonra a raça humana... Desonra tantas vidas que foram perdidas na busca pela liberdade de expressão, liberdade de ser o que se é!
Que pena! Todo esse sentimento negado, todos esses desejos negados, te transformaram num eterno insatisfeito. Confundir adequação com submissão é falta de personalidade… Espero não estar sendo apegado demais ao que penso e sinto, não quero ser egocêntrico como és…
Seu recalque fez criar dentro de ti um monstro, que pensa que pode tudo por que és socialmente bem aceito… Mas esse monstro não cala, não para, e de repente um dia na escuridão da noite a ilusão do álcool, a doce ilusão das drogas te liberta o monstro, que vergonha, acordas nu, e entre vibradores e pessoas ainda ávidas por fugir de si mesmas, pessoas que são como mortos vivos, são zumbis, sange-sugas que já morreram, mas não sabem... agora és um deles... então tu se desespera… o monstro criou vida própria, já não há mais controle… Como preferes a morte a ser tu mesmo… no breu da noite fria e úmida acordas em uma vala sangrenta, na sargeta que tanto desprezava… Adeus! Pois para mim já estás morto há muito tempo… Adeus! Meu luto de tua morte vai ser viver a vida cada vez mais e melhor... Adeus!
Cleber Otavio.

Abandono...

Quando somos abandonados pelo mundo, a solidão é superável; quando somos abandonados por nós mesmos, a solidão é quase incurável.

Leandro…

O Tempo

O tempo é muito lento para os que esperam
Muito rápido para os que tem medo
Muito longo para os que lamentam
Muito curto para os que festejam
Mas, para os que amam, o tempo é eterno.


William Shakespeare

Orgânico e Eletrônico

Orgânicamente tocas, eletrônicamente te sinto. O Som orgânico das melódicas cordas do violão me fazem viajar, me fazem tocar as nuvens e o infinito céu azul…
Aqui dançando entre samplers e batidas eletrônicas, sou inundado por meus pensamentos, que mesmo que eu não queira levam a ti… Olho pró céu e os meus olhos brilham o reflexo da Lua cheia. Peço a ela que brilhe o meu olhar a ti e dessa forma chego ao teu coração…
Entre batidas eletrônicas e as cordas orgânicas do violão te desejo…
Minha alma clama por ti, me inebrio com a tua presença e já não sei o que dizer…
Meu pensamento se esvai e só me restam os sonhos… nos sonhos te encontro e nele somos o que queremos ser. Nossos pensamentos se unem, nossos lábios se tocam e nossos corpos tornam-se apenas um…

Cleber Otavio.